Especial Ronald Sasson para A Maison Home

Captura de Tela 2017-03-23 às 14.56.43.png

Economia de detalhes é a palavra que norteia o trabalho do designer curitibano Ronald Sasson, hoje radicado em Gramado e um dos principais nomes que compõem o arsenal da Maison Home. Ele começou como artista plástico, trabalhando por mais de 12 anos nessa área. Desde então, coleciona títulos: foi congratulado com mais de 17 prêmios que vão desde o Brasil até a Alemanha, Estados Unidos e Itália.

Ronald morou na Europa por três anos, o que o fez adquirir critérios que foram transmitidos para sua mobília premiada. Em entrevista ao portal A Maison, ele comenta: “Tenho admiração pelo design nórdico acima de tudo por ser inovador e pioneiro. Tudo ou quase tudo que conhecemos veio depois, eles são mestres na simplicidade e economia de detalhes, como o bom design deve ser”.

Sua parceria exclusiva com A Maison surgiu por meio de Doriva Medeiros, nome à frente d'A Maison Home. Seu trabalho tem grande reconhecimento no eixo Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, crescendo agora no Nordeste. A região encanta Sasson: “Essa terra tem algo que o sul do Brasil não tem, que é o medo do novo, e isso é muito bom grado para o design”.

2017 mal começou para Ronald: este ano, ele foi vencedor do IF Design Award e o prêmio de design da Casa Vogue. Ainda, tem exposições marcadas em Milão, Mônaco e Veneza. Apesar do enorme reconhecimento, ele mantém seu carisma e humildade e diz sentir uma imensa gratidão por cada pessoa que leva algum de suas criações para casa.

Banco Luzia, premiado na Alemanha, Itália e Brasil. Sobre o relacionamento com clientes, Ronald comenta: "Sempre digo que o design não cumpre seu papel se não chegar a casa das pessoas. Para isso tem que cumprir algumas etapas - ser um desenho bem aceito, ter qualidade e funcionalidade, preço adequado e acima de tudo: transmitir emoção".

Banco Luzia, premiado na Alemanha, Itália e Brasil. Sobre o relacionamento com clientes, Ronald comenta: "Sempre digo que o design não cumpre seu papel se não chegar a casa das pessoas. Para isso tem que cumprir algumas etapas - ser um desenho bem aceito, ter qualidade e funcionalidade, preço adequado e acima de tudo: transmitir emoção".